Contra Santana - Encerrado a 10.03.2005

quinta-feira, março 10, 2005

God and your arms be praised, victorious friends. The day is ours, the bloody dog is dead.

Amanhã é o último dia de Santana Lopes como Primeiro-Ministro. O fim de uma farsa. 8 meses em que se percebeu que o improviso não faz um estadista; que a egomania é, mesmo na política, um defeito; que a democracia ainda penaliza a falta de princípios; que nem os vendedores brasileiros de sabonetes conseguem todos os milagres.

Santana foi a inspiração do nosso blog, e deu-nos pano para mangas. Mas bateu-se genericamente em tudo o que mexe, roubaram-se ideias anónimas que nos chegavam por email, descarregaram-se palavrões no dia da fatídica final do Euro. A Conchita falou dos Xutos, o Che partiu um braço, o Yanki Loco está AWOL e eu fui sendo insultado pelos meus insubordinados convidados. Falou-se de política, de reforma fiscal, de direito e economia, mas também de coisas que interessam. Foi uma pândega.

Obrigado ao Zé, ao João e ao Pedro por terem aceite o convite para este projecto subversivo.

Acordámos num admirável mundo novo, no qual um ex-militante do PCP tem que defender Freitas do Amaral de acusações, feitas por um ex-militante da OCMLP, de ser um perigoso esquerdista e radical anti-americano. Não se repetirá certamente a vertigem dos últimos meses, mas haverá certamente muito material para crítica, polémica e gozo. Por nós, continuaremos na blogosfera, mas apenas como espectadores. Vai-nos faltando o tempo, a imaginação e a pachorra.

Como escreveu Torga, “A vida ia continuar. Outros dias viriam, cheios de sol, de flores e de frutos. Mas não seriam meus”

THE END

quarta-feira, março 02, 2005

Pontos de vista


Posted by Hello

O PP ainda anda à procura de um líder?

Deixo aqui o contacto de uma besta obscurantista que defende valores democrata-cristãos...

terça-feira, março 01, 2005

O tempo da degradação


Posted by Hello

quinta-feira, fevereiro 24, 2005

Perspectivas para o futuro


Posted by Hello

quarta-feira, fevereiro 23, 2005

Dom Santana I, o Injustiçado

Mais um momento hilariante (outra vez) protagonizado por Luís Delgado:

«Pode ser um texto emocional, raro no meu estilo, mas quero, publicamente, que não existam dúvidas sou amigo de Pedro Santana Lopes, e serei sempre, em qualquer circunstância da sua vida pessoal, política ou profissional. Ele, como não podia deixar de ser, vai abandonar a liderança do PSD, e fá-lo no momento certo, com a cabeça fria, e após a necessária reflexão pessoal, única, e em isolamento absoluto. Pedro, digam o que disserem dele, e dos quatro meses que governou Portugal, fez o melhor que sabia e podia, e ao fazê-lo sabia que corria o enorme risco, quase impossível de ultrapassar, como se viu, de inverter uma situação de profundo desgaste e desilusão do eleitorado, com o PSD e PP, pelos anos de governação anteriores. Eu sei que ele ponderou seriamente não aceitar a substituição sem eleições, mas isso impedia a ida de Durão Barroso para Bruxelas. Sei que por uma ou duas vezes percebeu que o esforço era inglório, e que queria pedir ao PR que convocasse eleições, e isso só enobreceu o seu carácter, capacidade de avaliação correcta da situação política, e um grande espírito de sacrifício. Pedro Santana Lopes, como PM, fez o seu melhor, e como qualquer outro PM, em apenas quatro meses, também cometeu erros, lapsos ou atrapalhações. E sei, finalmente, que teve o que não merecia, por parte do PR, e de uma série de figuras do PSD. Ele, como ninguém, sabia isso tudo, e para tudo estava preparado. Pedro tem 47 anos, e uma vida à frente, e na política, naturalmente. Ele não "morreu" politicamente, por muito que alguns o tenham desejado, mas assumiu a responsabilidade de uma maioria que estava ferida de morte, pela condução política e falta de transparência com o eleitorado, a partir de 2002. Santana limitou-se a apanhar os "cacos", e tentar virar, sem nunca esperar que lhe cortassem as pernas. Agora sai. E sai de cabeça erguida, dignamente, e com a certeza de que qualquer outro PM, nas mesmas circunstâncias, teria sido derrotado de uma forma mais trágica. O PSD não esquece nem atraiçoa. Eu sei que Pedro Santana Lopes regressará, quando o tempo disser».

Parabéns...

aos Marretas pelo seu segundo aniversário!

Desemprego aumenta em Fevereiro

A decisão de Pedro Santana Lopes de não se recandidatar à liderança do PSD ameaça os postos de trabalho dos quatro humildes blogueiros que alimentam esta página de maledicência. Que fazer com este blog?

terça-feira, fevereiro 22, 2005

Pitbull Terrier

Emir Kusturica vai realizar um documentário sobre a vida de Maradona: será que vai repetir o número de snifar coca com o auxílio de um crucifixo?!

Continuação de boas notícias

António Vitorino vai integrar novo Governo

O gajo, afinal, teve medo de nós... e também do Miguel Veiga

"A dimensão da derrota [do PSD] impunha a demissão de Pedro Santana Lopes, se ele tivesse vergonha na cara"!

O gajo, afinal, teve medo de nós!

Santana Lopes vai abandonar liderança do PSD!

Depois da chuva, o dilúvio!

Luís Filipe Menezes admite candidatar-se à liderança do PSD!

E agora?

Passada a ressaca eleitoral, e depois dos múltiplos comentários que se fizeram ouvir desde domingo ao final da tarde, já não há muito que dizer.
Sócrates ganhou e deu uma valente zerada no PSD. Não existam ilusões: o adversário de Sócrates e do PS era o PSD, não eram a CDU, o BE, nem o PP, apesar de todos estes partidos se terem tentado colocar em bicos dos pés.
O nabo do Lopes continua burro ao não conseguir ver que nem o próprio partido o grama, quanto mais os eleitores. Levou um estoiro de 12%, perdeu mais de meio milhão de votos, saiu do poder, arrastou o PSD para uma grande cura de oposição, está em risco de ser o coveiro social-democrata das autárquicas e das presidenciais, mas ‘tá-se bem! A culpa, obviamente, não é dele: é de Sampaio, da Banca, de uma oposição interna sem rosto no PSD e, claro, das empresas de sondagens… (aguardam-se acções judiciais nos próximos dias!).
O BE teve uma subida espectacular alicerçada na premissa mais simples do mundo: qualquer subida seria sempre espectacular considerando a base inicial: os tais 2,7% de 2002.
O PP caiu com muito estrondo. Portas entendeu-o e foi-se embora. Se volta, é uma questão que ainda não está inteiramente descartada. Aguardemos, pois.
Deixei a CDU para último lugar de propósito e, essencialmente, para fazer ressaltar duas coisas: (a) a óptima campanha feita que se materializou num estancar da hemorragia eleitoral que se vinha verificando nos últimos anos e (b) o meu pedido de desculpas público pelo que aqui erróneamente escrevi com a ascensão de Jerónimo de Sousa à liderança.
Tudo somado, pensado e baralhado faz-me alcançar uma única conclusão: numa noite de tantas mudanças, a única merda que não mudou foi o asno do Lopes! Por que será que isso não me surpreende?!

Desaparecido em combate

Que é feito de ti, Luís Delgado? Morreste ou estás à porta da Segurança Social na fila para o subsídio de desemprego?!

segunda-feira, fevereiro 21, 2005

São Paulo, o Mártir eleitoral


Posted by Hello

O discurso do derrotado

Posted by Hello


 
FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com