Contra Santana - Encerrado a 10.03.2005

quinta-feira, setembro 30, 2004

Dá-lhe, Kerry



George W. Bush é, que me recorde, a figura politica democraticamente eleita que mais violentas antipatias suscitou no seu país e no mundo. E, ao contrário do que é habitual, a antipatia tem excelentes fundamentos.
Bush é, na economia, um liberal que dá mau nome aos liberais: ao mesmo tempo que corta nos impostos dos mais ricos e ataca o estado providência (o programa de Reagan), tem défices orçamentais elevadíssimos e manifesta uma escandalosa promiscuidade com os grandes interesses económicos (veja-se protecção que dá aos responsáveis pelos escandalos da bolsa e do sector energético, ou o descarado proteccionismo no aço).
É igualmente o gande veículo da ultra-direita religiosa americana, da qual traz a ignorância e o maniquíesmo, e que até o leva à extema estupidez de descrever a sua acção no Médio Oriente como "cruzada".
Na política internacional, pode-se não gostar dele vindo de todos os pontos de vista. O pacifista (porque fez duas guerras), o multilateralista (porque se borrifou na ONU e nos aliados) e mesmo o unilateralista radical (porque, quando se faz guerra, convém ter um plano político, como se sabe desde Richelieu e ensina Kissinger).
Em síntese, a mundividência de McCarthy, a cultura de Reagan, a honestidade de Nixon, o pensamento social de Dan Quayle e a visão estratégica do Pato Donald.

No meio de tudo isto, Bush corre o risco de ganhar. Como não posso votar numa das eleições mais importantes para o meu futuro, resta-me, hoje à noite, torcer por Kerry.

1 Comments:

  • Com tantas proibições e tantos tabus decorrentesdo agreement's debate, afinal que vão eles debater?
    Mesmo assim vou ver.

    By Blogger mfc, at 10:17 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home


 
FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com