Contra Santana - Encerrado a 10.03.2005

quarta-feira, setembro 29, 2004

Défice II

Como, aparentemente, os 2.5 mil milhões do fundo de pensões da CGD ainda não bastam para fazer descer o défice para os míticos 3%, Bagão Félix tirou mais um coelho da cartola. Vender património imobiliário. O curioso é que se vão vender edifícios onde estão instalados serviços do Estado, onde portanto o Estado passará a pagar renda - em 2006 (o próximo governo que comece a pagar o défice deste).
O padrão é, portanto, o mesmo. Obtém-se receita à custa da criação de despesa futura. Só porque a contabilidade pública não regista esse despesa futura é que há uma redução contabilística do défice. Com mais 1.000 milhões destas vendas, já sabemos que o défice real ultrapassará o anunciado em 3.5 mil milhões de euros (cerca de 2,5% do PIB).
Neste caso, contudo, há um motivo adicional de preocupação. Alguém fez as contas para saber se as rendas futuras a pagar são mais ou menos do que os encargos financeiros de um empréstimo do mesmo valor do património vendido?

1 Comments:

  • A ciência exacta do controlo do deficit versus o improviso da venda ao desbarato...
    Alguém, um dia, terá mão nisto?
    E vamos apertar outra vez o cinto?
    Inté... que vou ali e já venho!

    By Blogger mfc, at 11:31 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home


 
FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com