Contra Santana - Encerrado a 10.03.2005

sexta-feira, outubro 29, 2004

Sampaio e Santa Sé

Jorge Sampaio, o nosso Presidente, vai visitar o Papa para lhe pedir conselhos acerca da dissolução da Assembleia e posterior marcação de Eleições.
Com os contactos de Portas desconfio que estamos todos tramados.

segunda-feira, outubro 25, 2004

Também quero um vale!

Esta história dos vales-cirurgia cheira-me a esturro à légua. Então, se o Estado não conseguir, em prazo útil, solucionar os problemas de saúde dos utentes passa-lhes um vale para que se dirijam a uma clínica privada e façam lá a cirurgia de que careçam?
Sem prejuízo de considerar que nada disto seria preciso se a maior parte dos médicos trabalhassem denodadamente na função pública (como, de resto, o fazem na privada), parece-me que o ministro da saúde sacou mais um coelho da cartola no que respeita a dar muito dinheiro a ganhar a meia dúzia de amigalhaços... Sobre este assunto da falta de produtividade no sector da saúde prometo que um dia voltarei à carga.
Mas, e considerando em abstracto que a ideia até teria pernas para andar, será que a poderíamos estender a outras áreas da actividade económica? Por exemplo, se o Estado se atrasar no reembolso do meu IRS será que as Finanças me enviam um vale-imposto para ser descontado na CGD?!

Director do PÚBLICO considera que tese da cabala "não tem ponta por onde se lhe pegue"

E, só por acaso, desde quando é que uma ideia vinda do boçal do "Rui Bronco da Silva" (mais uma vez, o meu muito obrigado ao Contra-Informação) tem uma ponta por onde se lhe pegue???

FDP's dos espanhóis

E não é que os cabrões dos Paco's, Carmen's e merdas quejandas nos continuam a gozar?! Já não lhes bastava Olivença?! Refiro-me, pois claro, ao facto de o El País - carece de assinatura - referenciar a merda que por cá tem sido os últimos 100 dias desde que este (des)governo entrou em funções!

domingo, outubro 24, 2004

Obrigado Contra Informação!

O Contra Informação de hoje foi-me particularmente grato. Quem não o viu não sabe o que perdeu. Não resisto a partilhar, com os infelizes que não viram, um excerto dos versos escritos sobre o mirífico Remar Remar dos Xutos:
«Pressionar, pressionar/Quem está contra o governo/Atirem ao mar/Esse estafermo»...

sexta-feira, outubro 22, 2004

Joel

Quando o porta-voz do Partido Socialista para a Área das Finanças e Economia é o Dr. Joel Hasse Ferreira isto não pode ir a lado nenhum.
Internamento compulsivo JÀ.

quinta-feira, outubro 21, 2004

Gestão integrada de recursos humanos

Foi ao abrigo de tão pomposo chavão que PSL sacou mais um coelho da cartola; a saber: os professores que estejam no desemprego - ou com horário zero - poderão ir assessorar os senhores juízes nos os tribunais para, ao que se presume, tentar imprimir uma maior celeridade ao (muito) lento ritmo da justiça portuguesa.
Obviamente que a associação sindical dos juízes, bem como os 255167161 sindicatos que representam os professores, já vieram contestar a ideia considerando-a totalmente desprovida de senso e invocando que as funções para as quais cada uma das classes está vocacionada não têm qualquer ponto de tangência.
Eu, pela minha parte, por uma vez tenho que dar o braço a torcer e reconhecer que não só PSL está certo como, ademais, ele tem legitimidade para propor tal medida atento o facto de ter dado o exemplo. Efectivamente, parece-me claro que as funções de noctívago e de primeiro-ministro não são minimamente compatíveis e no entanto ele saltou de um lado da barricada para o outro. Na verdade, com o desemprego que começa a grassar entre os noctívagos beberrões (desemprego esse explicado em grande parte pelo valor obsceno do que se cobra por uma bebida na noite deste país), PSL, ao abrigo da já propalada GESTÃO INTEGRADA DE RECURSOS HUMANOS, decidiu, temporariamente, ir desempenhar as funções de primeiro-ministro. Foi pena que, à altura, nenhuma associação sindical do sector (leia-se, por exemplo, o Lâmpada) tenha também barafustado...

Traumas

Uma dos complexos que a esquerda herda de 48 anos de ditadura é não conseguir deixar de ver a polícia como instrumento de um regime repressivo. Creio que é consequência deste complexo a relutância em solicitar a intervenção das forças da ordem por parte da Reitoria da Universidade de Coimbra - é a imagem, sempre presente, da polícia ocupando a alta em 1969.
Esta atitude não é, todavia, admissível, muito menos numa instituição cuja missão é ensinar. A Universidade não pode ensinar que a intervenção da polícia, num estado de direito democrático, para manutenção da legalidade, é equiparável à intervenção policial num estado ditatorial. Ou que a lei não se aplica aos "doutores", mas apenas aos "futricas".
No nosso estado de direito, não é admissível que os estudantes (trata-se sempre de um grupo minúsculo de estudantes) impeçam, pela força, a entrada nas instalações da Universidade ou o acesso automóvel à mesma; não é admissível que, pela força, impeçam as reuniões dos órgãos de governo democrático da Universidade ou a realização da cerimónia de abertura solene das aulas.
Parece que, finalmente, houve intervenção da polícia. Como docente desta Universidade, tenho pena que as coisas tenham chegado a este ponto. Mas teria ainda mais pena que os estudantes da minha Universidade aprendessem aqui que estão acima da lei.

quarta-feira, outubro 20, 2004

O soba da Madeira

Peço perdão, à Conchita, mas é absolutamente necessário dar uma achega a um post, onde são focadas algumas das inusitadas declarações (perdõem-me o pleonasmo) de Alberto João Jardim. A história começa assim: Funchal, dezassete de Outubro. Alberto João mais a sua caterva de seguidistas entram em histeria perante mais uma vitória do seu partido.O homem que é conhecido pelos dislates mais pornográficos da nossa imberbe democracia, e que sofre de uma doença incurável, "Priapismo quando vê microfone" (ao que parece Rui Gomes da Silva é o mais recente caso), dispara em todas as direcções. Fala em limpeza e em purga, para todos aqueles que tiveram a coragem de lhe desobedecer ou que reiteradamente o desafiaram (alguns políticos do outro lado da barricada e, claro, a Comunicação Social). Pois bem, é aqui que a porca torce o rabo! Em declarações recentes, vindas a lume num diário local - Diário de Notícias da Madeira - que, por mero acaso, é o único que não é controlado pelo Governo Regional, o homem diz que o aviso que fez à Comunicação Social não passou de "show" para continental ver. Diz o alarve: "porque estavam os vossos colegas do continente e convinha que eles ouvissem um político falar de uma maneira diferente", mais , "se eu magoei alguém peço desculpa,mas aquilo era para os outros". Perante o exposto...o que fazer?

terça-feira, outubro 19, 2004

Notícia de primeira página do Diário de Notícias no dia 24.04.1974

O ministro da Presidência defendeu, esta terça-feira, que o modelo de programação da RTP deve ser feito pelo Governo, uma vez que é este quem responde pelas decisões praticadas na televisão pública. Olha lá, Sarmento: e o traseiro lavado com água de rosas, também não queres???

Belmiro dixit

«Já defendi a tese de que um Governo precisava de ter apenas dez ministros. Chegava e sobrava. Era um modelo simplista, mas não simplório. Este Governo, neste aspecto, é muito mais avançado do que o meu: sobram-me os dedos de uma mão para contar cinco ministros bons. É mais magro, mas são poucos de facto. (...) Este regente distrai à brava a oposição, promete e despromete todos os dias a mesma coisa, que é típico do entertainer e não tem nenhuma capacidade para servir o País. Estou a dizer o que ele próprio disse. Aqui há uns anos, ele considerou-se incompetente para ser primeiro-ministro e, curiosamente, naquela altura, usou uma frase que era: “O melhor de nós todos é o Álvaro Barreto”. E, eu concordo com o que ele, na altura, disse. Ele é claramente incompetente. Não é conhecido por ser bom decisor, nem na vida privada nem na gestão autárquica. Outra coisa que ele disse foi que era imprevisível. De um momento para outro foi nomeado regente. É muito difícil para o Presidente da República mudar um primeiro-ministro eleito, mas mudar um regente é muito mais fácil. (...) Temos eleições à porta e sabemos muito bem que Santana Lopes não é perito em votos: nunca ganhou eleições nenhuma de âmbito nacional e dentro do partido. Em Lisboa, que apesar de grande, é uma autarquia, foi o concorrente que perdeu. Na Figueira, prometeu tudo para passar o teste partidário. Ele, para ser primeiro-ministro tem de ganhar a liderança do partido e ganhar à oposição.».
Não escrevi nenhuma das frases atrás citadas de mote próprio; mas tenho pena! Estas e outras pérolas congéneres sobre o chefe deste (des)governo na Única nº1668 que acompanha o Expresso de dia 16 deste mês. Avé, Belmiro!

E ninguém demite este gajo?

«Rui Gomes da Silva sugeriu ainda que existiu uma cabala contra o Governo entre o semanário Expresso, o jornal Público e o ex-comentador da TVI Marcelo Rebelo de Sousa»!!! Porra que este otário nem para arranjar uma desculpa com cabeça, tronco e membros serve, quanto mais para exercer as funções de ministro (mesmo) neste (des)governo! O Alberto João Jardim há vários anos que invoca recorrentemente tais intentonas para tentar justificar todos os dislates que pratica na Madeira!
Ó Rui: o que vem a seguir? Ameaças de limpezas nas sedes dos jornais como o teu guru madeirense proferiu no domingo à noite?!?!?!

quinta-feira, outubro 14, 2004

Pequenos erros

A TSF tem - certamente por lapso - uma notícia no seu site cujo título é «Santana acusa PS de iludir portugueses». Não quereriam eles dizer «Santana louva PR por iludir portugueses»??? É que, efectivamente, foi Jorge Sampaio quem nos enganou a todos ao decidir dar posse a esta cambada que nos vai esmifrando todos os dias com aquisições de submarinos, SCUT's pagas, aumentos de impostos (v.g. o do tabaco), etc...

terça-feira, outubro 12, 2004

Viram a fotografia?

Viram a fotografia do Carol com o Sr. Primeiro-Ministro?
Mesmo ao lado da dos filhinhos?
Benza Deus um Homem tão dedicado aos valores da familia e da religião.
Onde estarão as Caras e Vips da outra personalidade do pedrocas?

Onde isto já vai!

Garante-me fonte segura que, a larga maioria dos investigadores da Polícia Judiciária do Caso Moderna já tem valentes tachos em institutos e empresas públicos.
Nomeadamente nos C.T.T. E com belos ordenados de 4700 €.
CHEIRA-ME A ESTURRO !

segunda-feira, outubro 11, 2004

Então e o contraditório, porra???

PSL, do alto do seu maniqueísmo, brindou-nos com mais um momento de pura hipocrisia: depois de ter mandado uma valente bordoada em MRS através do seu esbirro Rui Gomes da Silva, decidiu hoje fazer-se ouvir durante alguns largos minutos em que largou todo o tipo de dislates que lhe passaram pela tola. Estou para ver o que terá a Alta Autoridade para a Comunicação Social a dizer sobre o assunto...

Bem vindos ao Terceiro Mundo

Inqualificável

O Primeiro Ministro, sob o pretexto de uma comunicação ao país, acaba de fazer um tempo de antena. Um tempo de antena, para mais, em período eleitoral.
O chefe do Governo deve usar a prerrogativa de falar ao país em momentos graves da nação, em momentos tradicionais (como o ano novo), ou ainda, admite-se, para anunciar factos importantes. Para fazer propaganda, há tempos de antena, comícios ou conferências de imprensa.
PSL veio à televisão atacar o governo anterior, chamar "ruído" às oposições, referir medidas já tomadas ou já anunciadas (ontem, em comício), e defender a solidez da coligação. Isto não é uma comunicação ao país. É tempo de antena.

As minhas expectativas sobre a falta de vergonha de PSL eram baixas; agora são nenhumas.

A democracia é o ópio do povo?

No Barnabé, o Daniel Oliveira faz os possíveis para desvalorizar a democracia recém-importada para o Afeganistão. A democracia afegã tem, evidentemente, tudo para correr mal, mas surgem-me três questões:
1) A democracia imposta de fora, pelos EUA, não funcionou no Japão?
2) A nossa imperfeita democracia do liberalismo (com os morgados das perdizes e os caciquismos vários) não era melhor que o absolutismo?
3) Qual é a alternativa?

Exigências

No post anterior, a Conchita (e o Pùblico) manifestam uma exigência excessiva. Então estão a apontar ao Ministro das Finanças contradições com afirmações de há cinco anos atrás? Neste Governo, já fico satisfeito se não houver contradições com afirmações de há cinco dias!

Bem prega Frei Tomás

Acompanhei com bastante preocupação o excurso reaccionário do nosso Comandante0 a apoiar a cruzada do ministro Frei Bagão no que respeita ao corte dos benefícios fiscais. Independentemente do fuzilamento preventivo a que o Comandante0 estará sujeito por tão louca deriva, recomendo-lhe, adicionalmente, que leia o artigo de JRA hoje no Público Economia a atestar a coerência de pensamento do ministro nos últimos cinco anos. Independentemente do link deixo aqui uma pequena pérola: «Entregar a poupança a uma agência alheia, administradora dessa poupança, não é como comprar uma garrafa de água ou uma caneta. É um bem de consumo diferido e por isso exige confiança e para robustecê-la, o Estado não pode ziguezaguear nos estímulos que concede, para as pessoas poderem planear o investimento a 10, 15 ou 20 anos». É de louvar tanta honestidade intelectual, não vos parece?

Devia haver mais eleições

Segundo afirma hoje o Público, o actual Ministro da Agricultura há quinze dias que não sai dos Açores (de onde é natural) por forma a participar o mais assiduamente possível na campanha eleitoral desenvolvida pela coligação de (ultra) direita naquele território insular.
Por mim, tudo bem! Quero lá saber que os titulares dos cargos políticos não tenham o mínimo de respeito pela função e não adoptem uma postura supra-partidária: como tenho defendido à saciedade neste blog, o decoro não é uma palavra que conste do léxico deste (des)governo. E, vendo as coisas pelo prisma positivo, temos que nos congratular com tão louvável atitude do ministro: afinal de contas, há quinze dias, este (des)governo - ao não despachar qualquer assunto - pelo menos não faz merda no sector da agricultura!

quinta-feira, outubro 07, 2004

Não perceberam nada

Está o país todo a falar de censura sem nenhuma razão; o que se passa é que Marcelo Rebelo e Sousa acabou com o comentário no Jornal de Domingo para aceitar uma proposta multimilionária na Quinta das Celebridades.
Em contrapartida, cria-se um painel pluralista de comentadores, para assegurar o contraditório: a vaca da dita quinta (presumo que há uma), o galo de Barcelos e o Luís Delgado.

quarta-feira, outubro 06, 2004

O Senhor Reitor

Alguém viu o Auto de Fé, protagonizado pelo Sr. Dr. Braga da Cruz, Ex.mo Reitor da Universidade Católica, contra o inadmissível horário das casas de diversão nocturna que afastam, ó tenras mentalidades, os estudantes daquilo que verdadeiramente é a sua missão - estudar, estudar muito e não pecar.
Temo bem que, a padralhada esteja agora com mais poder do que por alturas daquele Sr. de Santa Comba.
Triste sina!

Eles andem aí

Não sei se se lembram do post em que alertei para os perigos de ter uma pessoa como o Dr. Rui Gomes da Silva como ministro!
Pois bem, não é que gostasse dos sermões de frei marcelo, mas acho insultuosa a ingerência na escolha de conteúdos de um canal de televisão.


Bem que podes limpar as mãos à parede!

É o que me apetece dizer no que respeita ao mais recente afã controleiro manifestado ontem pelo nosso PR nas comemorações do cinco de Outubro. Efectivamente, aqui os guerrilheiros já tinham dito que seria esta pouca vergonha que aconteceria quando PSL y sus muchachos chegassem ao poder; Sampaio, do alto da sua cátedra, não nos quis ouvir e tomou-nos por um bando de lunáticos desocupados do estilo não-temos-mais-nada-para-fazer-na-vida-portanto-bute-lá-
-criar-um-blog-para-falar-mal-deste-e-daquele. Errado! As verdades, para serem ditas, não têm que ser num tom sisudo e de uma forma ininteligível como, frequentemente, o próprio Sampaio faz! Apenas é preciso um pouco de ponderação e bom senso!
Olha, Sampaio: como diria o povo, TARDE PIASTE! Aguenta-te agora à bronca com a porcaria de solução que arranjaste.
A única coisa que me chateia é que, por causa da decisão dele, eu também tenho que os aturar...

Fretes...

Miguel Pais do Amaral - numa atitude de ponderada e criteriosa gestão empresarial - decidiu calçar um par de patins ao responsável pelo excelente share que o telejornal de domingo na TVI usualmente atinge. Em que medida terão contribuído as críticas de Rui Gomes da Silva para este desfecho? Por que razão se terá justificado tal frete? Aguardamos, ansiosos, as cenas dos próximos capítulos.

Até amanhã Camaradas!

Fantástico! Não é todos os dias que um caramelo consegue encontrar um proletário com pretensões a capitão disposto a substituí-lo e que regerá a orquestra até que o navio se afunde por completo!
Partido Comunista Português (1921-2004), R.I.P.!

terça-feira, outubro 05, 2004

Sucessão no PCP

Segundo o Público, Carlos Carvalhas vai abandonar o lugar de Secretário Geral. Aguarda-se agora o surgimento de várias candidaturas à liderança, que debatam abertamente pelo país, de modo a que os militantes comunistas possam exercer o seu direito de escolha, dando uma lição de pluralismo democrático à sociedade portuguesa.

Esquerdismos

Entraram no domínio dos postulados as afirmações "Ala Esquerda do PS" e "Alegre está mais à esquerda do que Sócrates". No domínio das posições políticas, esta afirmação devia ser contudo encarada como teorema a demonstrar: A posição X é mais a esquerda do que a posição Y, Alegre defende X e Sócrates Y, logo Alegre está mais à esquerda.
A verdade é que a "ala esquerda" só é capaz de justificar essa designação nas questões simbólicas (como a leitura das moções demonstra); nada no percurso político de Sócrates (nomeadamente na sua actuação governativa) o aponta como homem da direita do partido, a não ser esse pecado capital de um dia ter afrontado uma posição de Manuel Alegre.
Daí a importância de trazer a discussão das alianças para a frente do debate. A maneira da "ala esquerda" se afirmar como tal foi dizer ao PS e ao país "vejam como nós somos simpáticos com os partidos à nossa esquerda! Não somos verdadeiros esquerdistas?".
É essa procura de uma caução política à esquerda que foi rejeitada no Congresso. O PS sabe que pode ter que fazer alianças com outras forças de esquerda - mas elas serão, do ponto de vista do PS, um mal necessário, exigido pelo interesse nacional. Não podem e não devem ganhar centralidade estratégica.

segunda-feira, outubro 04, 2004

Pacóvios

Num Congresso não se vê a cobertura do Congresso na Televisão; por isso, ao chegar a casa ontem, fiquei um pouco surpreendido quando a SIC deu tanto destaque ao teleponto como ao conteúdo da intervenção do novo líder da oposição; depois disseram-me que o teleponto foi a grande estrela do Congresso.
Será que escolhem os nossos jornalistas de entre bosquímanos? Já agora, também temos computadores e (pasme-se) luz eléctrica!

P.S. O prémio de pacóvio-mor vai, naturalmente, para Mota Soares, que também entrou na onda do teleponto - para referir que Santana Lopes não precisa. Peço licença para discordar; não só precisa de teleponto, mas - e urgentemente - de um teleponto de 3ª geração, que também escreva os textos.

sexta-feira, outubro 01, 2004

TPC

Recomenda-se a todos os congressistas socialistas (José Sócrates incluído) que, em jeito de trabalho de casa, leiam o excelente artigo de Miguel Sousa Tavares hoje no Público. Nunca, tanto como hoje, o PS pode dar um passo decisivo em prol de Portugal desde que esqueça a sua habitual tendência para a auto-degolação, golpes palacianos, intrigas, arranjinhos e azelhices quejandas. Fica o desafio!

Cada um é para o que nasce

O nosso Comandante0 prefere marchar em direcção a Guimarães para, num puro exercício de masoquismo, ir ouvir toda a tralha guterrista debitar as tangas do costume e a fazer as mais que estafadas promessas de honestidade e devoção ao país quando chegarem ao poder - o mais tardar - em 2006.
Eu e o camarada de armas El Che preferimos os pregadores autênticos que não têm medo de berrar o politicamente incorrecto e, sobretudo, que não visam projectos pessoais de poder na política. Hoje à noite. No Le Son. Em Coimbra.
«é preciso é estilo!/não cansamos de dizer/num verniz de desdém que nos dá muito prazer/assumindo o deboche cada vez mais descarado/insurrectos em graça adorando o acto ousado/somos fãs da desbunda do deleite permanente/e assim passa o tempo e com ele nova gente» (Adolfo Luxúria Canibal/António Rafael)

Pausa



Para mim, três dias de pausa neste blog. Vou até Guimarães, que sempre foi um bom sítio para começar algo.

Kerry - Bush

As sondagens "instantâenas" da ABC, CBS e CNN dão John Kerry como vencedor do debate. A mim pareceu-me o mesmo, mas eu não sou um eleitor indeciso. Parece que temos que esperar 72h para ver se isto tem algum efeito nas sondagens.

O comentário da noite vem de Jessi Klein, na CNN: "I love the way Bush talks about "spreading" liberty and "spreading" freedom. Like they're this peanut butter and jelly that can just be piled on top of slices of other countries."

Para quem vê o debate no estrangeiro, o ponto mais saliente é talvez quanto os americanos são ignorantes ou indiferentes à reacção que as acções do seu Governo provocam nas opiniões públicas estrangeiras. A reacção de Bush, quando Kerry se atreveu a apontar que Bin Laden tem hoje mais facilidades de recrutamento por causa da política americana, é ilucidativa: "Vamos deixar que Bin Laden dite a nossa política externa?"


 
FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com