Contra Santana - Encerrado a 10.03.2005

quinta-feira, outubro 21, 2004

Traumas

Uma dos complexos que a esquerda herda de 48 anos de ditadura é não conseguir deixar de ver a polícia como instrumento de um regime repressivo. Creio que é consequência deste complexo a relutância em solicitar a intervenção das forças da ordem por parte da Reitoria da Universidade de Coimbra - é a imagem, sempre presente, da polícia ocupando a alta em 1969.
Esta atitude não é, todavia, admissível, muito menos numa instituição cuja missão é ensinar. A Universidade não pode ensinar que a intervenção da polícia, num estado de direito democrático, para manutenção da legalidade, é equiparável à intervenção policial num estado ditatorial. Ou que a lei não se aplica aos "doutores", mas apenas aos "futricas".
No nosso estado de direito, não é admissível que os estudantes (trata-se sempre de um grupo minúsculo de estudantes) impeçam, pela força, a entrada nas instalações da Universidade ou o acesso automóvel à mesma; não é admissível que, pela força, impeçam as reuniões dos órgãos de governo democrático da Universidade ou a realização da cerimónia de abertura solene das aulas.
Parece que, finalmente, houve intervenção da polícia. Como docente desta Universidade, tenho pena que as coisas tenham chegado a este ponto. Mas teria ainda mais pena que os estudantes da minha Universidade aprendessem aqui que estão acima da lei.

1 Comments:

  • Quem dera que na esquerda não houvesse tantos complexos e tantos complexados...A atitude do Bloco de Esquerda, nesta como noutras matérias, onde é absolutamente imperioso algum sentido de Estado são de uma irresponsabilidade atroz. Razão tinha o Jorge Coelho...

    By Blogger Yanki Loco, at 12:21 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home


 
FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com