Contra Santana - Encerrado a 10.03.2005

quinta-feira, novembro 25, 2004

O referendo

Estou muito grato aos autores da pergunta do referendo europeu.

Em primeiro lugar, acho que a formulação textual da pergunta é mais ou menos irrelevante: aquilo que se vai perguntar na prática é aquilo que a Constituição não permite perguntar ("É a favor da aprovação do Tratado Constitucional?"), pergunta que acaba por ser muito mais complexa do que a que é apresentada; a pergunta sobre que se vai fazer campanha é "É a favor da Europa?"; e a motivação dos que forem responder não é chatear os políticos.

Em segundo lugar, a pergunta permitiu revelar a apreciação das elites sobre a literacia dos portugueses - a opinião dominante é de que a maioria dos nossos concidadãos não está em condições de perceber uma frase de quatro linhas, discutida durante o breve espaço de 6 meses (reparem como, em contrapartida, ninguém veio reconhecer "eu não percebo a pergunta").

Em terceiro lugar, a pergunta foi um fantástico catalizador do humor, e tenho rido até às lágrimas com o que se escreve sobre ela. Destaco este magnífico post do Daniel Oliveira no Barnabé, e ainda o projecto de boletim de voto, com origem no Inépcia (inépcia é a minha de ainda não conhecer este espaço fundamental da Net).

Para uma discussão mais séria sobre o fundo da questão, sigam-se sobretudo os textos de Vital Moreira no Causa Nossa (aproveitamos para os congratular pelo seus um ano e três dias de funcionamento).


 
FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com